quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Vovô Gomide & as Catitas de São João del-Rei


Na galeria dos personagens típicose muito populares de São João del-Rei, um muito pitoresco, mas hoje praticamente esquecido, é Vovô Gomide.

Fins dos anos 50, começo dos anos 60, já relativamente idoso, o velho meio branco, baixinho, de cabelo e barba brancos, morava na esquina da Rua Coronel Tamarindo com a Rua Rodrigues de Melo, onde hoje existe a Praça Padre José Maria Fernandes, próximo à Rua do Barro e ao Pau D'Angá. Para as crianças, pela semelhança, era o ilustre Marquês de Tamandaré, que naquela época corria de mão em mão na nota de Cr$ 1 (um cruzeiro).

Sempre de paletó escuro e surrado, com sua voz mansa, rouca e baixa, se dizia nobre, descendente do Barão de Cocais, e aguardava a chegada de sua parte da lendária herança, que vinha não se sabe de onde, mas do século XIX.

O que fazia dele uma pessoa especial? Vovô Gomide catava no chão maços vazios de cigarro que os fumantes jogavam fora e desenhava a lápis, no verso da estampa e no papel branco, garatujas de corpo inteiro. Por motivos que ninguém sabe, todas eram mulheres de saia e perfil.

Diariamente sentado na Praça do Coreto, em frente ao Hotel Brasil, na porta da Estação ou nas esquinas perto de sua casa, presenteava as crianças com suas garatujas, que ele e todos chamavam de Catitas. Possivelmente hoje ninguém tem mais este registro de sua existência..

Algum são-joanense sexagenário ou maior desta idade, tendo recebido alguma Catita, se lembra do Vovô Gomide?

Nenhum comentário:

Postar um comentário